Ai…

   Eu não pude acreditar. Eu não posso acreditar.
   Eu pensei… Que já estava tudo bem. Mas eu acho que não estava pronta. Pois bem, aqui estão, as lágrimas esfriando meu rosto, rolando em seguida pelas bordas do teclado. E agora, novamente, aquela bagunça de pensamentos: “eu sabia”, “eu sou uma idiota”, “nunca mais, nunca, nunca mais…”, entretanto, a única onomatopéia eminente é “Ai”. Nada mais que isto.
   Uma bala no peito, um tapa na cara, um chute no estômago, uma paulada nos rins. Dói. E eu sinto esta dor em mim. Por que ainda tem que doer tanto ?
   Meu Deus… Quão rápido aconteceu. Mais, muito mais rápido do que eu imaginei. Por que é que tudo vem assim, de uma vez ? Por que tudo simplesmente cai por terra de uma hora pra outra ? No fundo eu sabia, sempre soube, desde o início… Mas nem por isso eu tive tempo de me prevenir.
   Sempre acaba assim. Mas não precisava acabar mais que uma vez, de verdade.
   Digitar não abafa os soluços.
   Morder meus lábios não faz com que eu me sinta abraçada.
   Por que eu sempre estou sozinha em momentos assim ?

Comentários

  1. Siceras palavras ameii.Por que a dor sempre tem q vir não é? Já não basta a decepção? Já não basta o desencanto, por que esta infeliz dor obsecada em perseguir? Por que ? Ah isso não não sei dizer, mas que há como vence-lá isso há. Apesar da queda e dos ematomas agora sabe-se de certa forma como caminhar ali sem cair ou escorregar, aprende-se a ser mais firme apesar de tudo...
    E vc não está sozinha lembre-se disso. by: eu day

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três