Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2015
Este riso fácil que te ri
e que por horas trinca de desejo
e morde-te o queixo
prevê no doce deste zelo, nosso enleio,
o deleite desmedido deste harmônico sentir

Hoje, o teu corpo estatelado, fatigado
será, do dia, a poesia; os teus braços
hão de afastar-me das coisas feias dessa vida,
do desamor do momento em que não o conhecia.

Não acompanha a minha vertigem tímida
os teus inopinos lampejos
Sujeito-me, a qualquer momento, a um devaneio
de, para sempre, querer ser o teu amor...
Os teus receios, em segredo,
deixam-me cá à deriva
com teu ser amor
fazendo-nos, plenos,
poesia
Will you find my tiny love?
Can you take it far above?
Are you gonna make me care
Even when I am afraid?

Will you wrap my brittle love?
I wanna know if you may not
just gobble my silly love
when holding it with tender arms

Are you the one who'll bring the joy
of denuding my messy love?
Will you save it or will you run
by meeting my grubby love?

Oh, this finicky and ninny, this deep love of mine,
what have ever made it so naive?
Sing me sweet, mild lullabies,
And you may get my smoothy love.
Meu amor, eu não mais o quero
Mas eu gostaria de poder
Porque isso não quer dizer
Que deixei de me importar

Eu não o amo mais, meu amor
Que posso, que ei de fazer?
Se eu pudesse, eu realmente
Eu realmente choraria em seu lugar

Eu preferiria
Amar sozinha
E me perguntar todos os dias
Sobre as lacunas não preenchidas
As palavras não ditas
Para que me amasse, o que eu não faria!

Mas, é preciso que eu vá
E eu não o amo
Eu o deixo
Com o peito apertado e as perguntas
Fadadas a serem silenciadas
E eu sinto muito
Eu o deixo
Com esse gosto amargo
E com os pés sobre chão nenhum
Como tantas vezes
Sem você eu também estive
É verdade!

Todas as vezes que me lembro
Da sua voz embargada
Não posso dizer que não penso
Que costumava rir e contentar-me
Quando penso que fugi dos seus beijos
Eu sei que um dia
Estive satisfeita com eles
Perdoe-me
Eu gostaria de não ter mudado
E nunca ter te visto triste
Eu daria qualquer coisa
Pra tirar-me do seu peito também

(De 18/06/2015)
You can go your own way, I'll keep feeling is just not goodbye. I don't wanna over react the serenity of your eyes, or how I'm fine when without y- this non ending story. I'm not about to sing your deserting (and wish it was true). Done of being done, I might just be alone.