Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2012
vou deixar os retratos ficarem vazios

por um
instante
(e toda a cautela do mundo regendo-me)

curtir qualquer música que me seja alheia

eu não vou nos deixar
supondo, presumindo, adivinhando,
do fundo de uma gaveta
não, eu não poderia fazer isso

gostaria de ter guardado apenas
algum escrito - este - para
daqui uns dias, poder ler
sentir saudade, se eu puder entender
ir embora, quando eu realmente for

lembrar teus braços

sempre, sempre tão distantes
lembrar como eles
puderam me fazer feliz.
e agora como eu
evito nos ver

é engraçado ?
encontro, no medo, o incoerente:
simplesmente
não dói