Você é “de lua”, estou vendo. Mas te quero bem todos os dias. Bem para mim. Você não poderia esquecer-se de ser frieza e ser somente doçura, para sempre e sempre ?
   Tenho te esperado. Tenho deixado as estrelas com seus brilhos clichês de olhos enamorados invadirem-me. Tenho visto o mundo em você. Tenho conversado com abajures e cômodas e tenho dançado na (chuva) rua.
   Cansa-me falar de sonhos, porém, que mais tenho ? O que difere agora e dantes, é a expectativa de findar meus devaneios não pelo pranto, não pela rima, mas sim pela vida, para vivê-la.

“..Dia ímpar tem chocolate, dia par eu vivo de brisa / Dia útil ele me bate, dia santo ele me alisa / Longe dele eu tremo de amor, na presença dele me calo..” (Sem Açúcar – Chico Buarque)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três