Um olhar mudo, uma sombra fugaz: tormenta sem ventania.
   Um riso mais pranto que riso; um pranto mais riso que pranto – a boca pasma, cala.
   Retrato meu, hora dentre outros retratos com mais vida em si do que o que fora retratado, hora pregado no cinza vazio de uma parede rachada… Como eu mesma, esvai-se. Cansa e ao chão se vai.

Comentários

  1. E que a sinfonia e estes acordes tão infundidos de ora suavidade, ora complexidade... lágrimas, sorrisos... se confunda com os magníficos dizeres seus que embevecem tão calidamente meu retratar vivencial. Por favor, adicione-me no messenger ou skype? Links no meu blog *-* "Meus indícios" Boa noite.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três