Disponha de um fim singelo. Por que tão poucos dizem a verdade quando é tão simples ? Quase fácil demais…
   Simulou tal amor (falta-me melhor palavra) ? É o que todos fazem, não ? Moda medíocre, perversa, vil ! Eu posso mentir melhor, falsear um desamor, versejar minha dolência ao passo que sorrio. Seria, ainda assim, mais nobre mentira.
   Não atino de onde minhas forças vieram. Forças para o nada, para existir, simplesmente. Não atino e agora não as encontro mais… Desconheço os últimos olhos nos quais pousei os meus. Os últimos pulsares meus foram teus.
   Sinto rojar, aproximar-se de mim, a solitude daqueles dias.. Agora é o que ?
   Uma palavra. Você notou a diferença ? Uma palavra mudou. Foi permutada.
            Eu avisei, cachorro, disse para ir embora…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três