Perfume

Docinho…

Seus olhos de Lua
me fitam; perco a direção,
viram finas pedras
o asfalto da rua;
viram noites belas
as noites de solidão.
Exalas perfeição,
não consegues livra-se dela.

Sua textura de orvalho,
seu aroma de sonho,
seu quente e seu gelado,
gelado de alvorada,
sua cor de arrebol,
seu rosto em minhas madrugadas…
Quando eu te abraço,
abraço raios de Sol.

Um aconchegante abrigo
em meio a realidade insana…
É como se meus sentimentos fossem
desconhecidos pela ciência humana.
E as minhas manhãs são mais doces
nas vezes que as inicio sonhando contigo…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três