Rio

Segue seu curso, lambe a terra,
leva contigo o sabor da vida.
Segue seu rumo de dor eterna,
de ser abrigo de paz e rotina.

Vem inundado de incertezas,
traz amargura enquanto rastejas,
peço que vá, siga sua correnteza,
arraste seu mundo de falas belezas.

Imploro que vá, que complete o luar,
que leve a ti mesmo pra outro lugar,
que busque o Sol pra tentar refletir
um brilho maior que o do sorrir.

E choro, pois se vai, vai Rio, vai buscar,
vai com cuidado, não se deixe afogar,
vai pra alguém que te mereça,
vai pra alguém que te entenda e te queira,
vai que eu cuido que logo me esqueças…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três