Lembranças

Eu sinto sua falta,
eu queria não sentir.
Era tudo o que eu acreditava,
como poderei fugir ?

Vejo passar as horas,
por que tem que ser assim ?
Penso em você agora,
mas você já não pensa em mim.

Continua difícil ignorar
mesmo que não pareça tanto.
Difícil não pensar
que eu já te quis tanto…

Difícil escutá-lo dizer que me ama
sem lembrar de você.
Difícil não pensar se ele também me engana
assim como você.

Difícil perdoar,
com tantas meias-palavras deixadas,
com uma interrogação bordada
no nosso final.

Minha amarga felicidade, vá embora.
Rezo para que não encontre o caminho de volta.
Minha ilusão perigosa,
minha verdade mentirosa.

Dor que não devia existir,
dor que não posso fingir.
Lembranças me faziam sorrir,
hoje me fazem desejar nada sentir.

Ridiculamente feitos um para o outro, hoje eu sei,
tudo era fácil demais, belo demais, me enganei.
Tantas previsões de um tão sonhado futuro…
E eu continuo aqui e você em algum lugar desse mundo…

Falsas previsões, sonhos que eu queria que fossem reais…
Falsas previsões, pois nossos caminhos jamais serão iguais…
Eu era uma chama dançando ao vento da noite fria,
você a razão do pranto, como a Lua que sempre brilha…

Lua que nunca mais brilhou em minha vida.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três