Guarde uma vírgula embaixo da linha – pode ser necessária, qualquer dia.
   Vamos empilhando nossos esconderijos ao lado dos olhares que desviamos, até que uma ventania desordene tudo: então nos desfazemos de nossos próprios vultos e pudores apenas para acumular novos outros. Depois percebe-se que ressentimento é um privilégio para poucos (o que pode a maioria fazer é emudecer).
   E pouca coisa vale menos do que um âmago retraído e silente – contudo, se houver uma vírgula, há ainda algo a ser dito e este “algo” virá com a vírgula de maneira que não viria com reticências.
   Guarde uma vírgula embaixo da linha.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três