Cansada de tantas alusões a tudo o que é comum, eu estou tentando deixar de ser ordinária, mas talvez a maior diferença entre o grupo de pessoas ao qual eu pertenço, e todo o resto da humanidade, esteja em todas as nossas semelhanças…
   …E talvez ser tão diferente e tão igual a tudo não seja nem um pouco “saudável”. E talvez não exista nada realmente “saudável” neste mundo de provas e expiações.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três