Ímpar

Frustração:
Não há inspiração.
Indigestão:
O final é sempre o mesmo, vão.

Como uma rocha,
tão firme, tão só e sóbria.
Como uma tocha,
ardendo perante sua glória.
Como uma rosa,
que no escuro desabrocha.

Solidão,
presente em meu coração.
Ilusão,
pra vida não há uma razão.
Diz a canção:
“És  a minha erosão”.

No olhar em chamas,
na voz que clama
pelo que se ama,
quem te engana.

Um vício
da perfeição.
Resquício
de escuridão.
O que sinto,
um mito,
amor extinto.
Um grito,
já basta
de mentiras,
agonia
que devasta,
nostalgia
que me enlaça.

Minha ferida,
minha sina,
minha vida.
Há saída ?
Repito
Há saída ?
Vos digo
Não
É ímpar a opção.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três