De ilusões vivo eu

De ilusões vivo eu
no mesmo caminho...
Já que me esqueceu,
eu sigo sozinho...

Só e conformado,
sem ti ao meu lado
a morte será
fim do meu pesar.

Rude, abandonado,
um texto rimado,
eu conto teus passos,
mesmo rejeitado.

Se, talvez, um dia,
voltar a ser minha,
aqui estou e guardo
todo amor jurado.

Se, talvez, um dia,
voltar, oh, rainha,
prometo-te a minha
vida e alegria.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três