Amor

   Mais originalidade para um título, impossível… AMOR.
   Ah, eu adoooro comparar amor e fogo… Amor é quente, amor é vida, amor é primordial, é indispensável, tal como é o fogo… Que queima, corrói a carne, destrói impiedosamente tudo por onde passa… Tal como o amor.
   Amor não acaba… Não, de forma alguma, não acaba… Apenas se modifica, de forma que, o que ontem era chama ardente, hoje é uma pequena brasa, que apesar de ser capaz de queimar, não possui nenhuma chance de se tornar mais do que isso.

   Meu querido, o amor que sinto já foi apenas carvão, já foi apenas um amontoado de folhas secas, tão típicas do meu outono. Já foi pequena brasa, já foi vistosa fogueira. E não o deixaria de ser, se eu pudesse controlá-lo… Sim, se eu pudesse controlá-lo, eu não deixaria que se tornasse tamanho incêndio, como é hoje.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três