“Quando eu vencer o escuro, vencerei tudo” – o que fez do conteúdo daquela noite, inolvidável.
   Quando eu vencer o escuro, vencerei tudo, ganharei o mundo…. Não desfaço-me desse espalhafato incoerente, porém legítimo. Ganharia meu mundo ao não perder-me de mim mesma, todavia, também meu escuro perdeu-se de mim – luto contra o que não vejo, não sinto, não conheço. Luto contra o que não existe, um embate infindo e contra o que, portanto, não posso vencer… E não me pergunto mais, por quê.. ?   Tão perto de suas lembranças, tão longe de você…

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três