Apesar de parecer tão incabível a existência de certas coisas, elas existem... E o que deveria haver, não há. Magoamos quem, supostamente, amamos. O que chamam amor há de estar equivocado (há esperança !), tão... Perecedor, tão frágil em suportar apenas algumas mágoas, alguma distância, algum enfado, algum tempo. E sucumbir após isso. Tão sujeito a findar tão mais rápido e tão mais fácil do que imaginamos, do que deveria...
Ah, há, há quem diga "mal nenhum há de perdurar", porém, aquiete-se, que sua sina ditado algum há de apagar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três