A Sombra

A sombra de outrem, uma porta aberta,
A tão bem obumbrar-me ao ver-me inerme,
A tão bem roubar-me as palavras certas,
Lançando-me neste mundo solerte,

Que a minha indelével face aniquila,
Rapinando-me os sonhos, minhas rimas,
Tão reles e imaculadas, outrora,
Tão raras e tão dolentes agora…

A sombra de outrem, que o Sol arrebata,
Impera em terra onde tal luz faz falta.
E em mim faz sua frieza nefasta,

Como seu senhor, que por onde passa,
Alastra perversidade e devasta.
A sombra de outrem, onde vaga, abala…

Comentários

  1. " A sombra de outrem, onde vaga, abala...". Só você mesmo para expressar em palavras aquilo guardado no mais prifundo do ser...

    ResponderExcluir
  2. profundo texto, parabéns por grafá-lo e dividir conosco, bjs e bom dia

    ResponderExcluir
  3. Nicole...

    Hoje passei para lhe agradecer pela companhia, amizade e carinho durante o ano de 2010.
    Foi um ano corrido, nem sempre eu pude lhe visitar para retribuir a altura tudo o que fizeste por mim, mas saibas que em meu coração sempre haverá um cantinho revervado para as pessoas especiais como você é.
    Boas Festas, muita paz, saúde e felicidade e que 2011 seja uma ano REPLETO DE REALIZAÇÕES! Bjs.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três