Fitei teus olhos e teu sorriso. Como é bom vê-los assim e não somente imaginá-los.
   Toquei-lhe as mãos,  os lábios.  Tão passivo,  tão plano…  E por isso,  não pude abraçá-lo.
   Não se moveu, não alterou nem minimamente seu sorriso, não saiu do lado da figura que me refletia como um espelho e que também não se mexia.
   Lágrimas saudosas completaram meu semblante ao contemplá-lo. Ele que não sentira e não vira, sequer um dos meus atos.
   E meu peito ainda dói, comprimido, como se mesmo eu não tivesse agido.

   Que júbilo mais vago…

Comentários

  1. Posso ser sincera???

    Eu não consegui te entender!!!E o mais louco é que eu gostei disso.....Vc relata, escreve ou seja lá o que for preciosamente bem....Não pelo sentido real das palavras e sim pela profundidade que elas representam!!!

    Não sei se gosta...Mas vc provavelmente já ouviu alguma musica do nirvana....
    Procure por You Know You're Right....E ouça o refrão......
    Ele apenas diz Pain (dor)

    Mas ísso basta para q entendamos tudo q ele quer dizer...Ou por tudo q ele esta passando!!!

    É forte!!!É profundo!

    Estou seguindo o blog ok?Bjos e desculpa qualquer coisa xD

    ResponderExcluir
  2. Palavras tão profundas... chego a sentir na alma, como se escrever aliviasse o que caregamos no peito

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três