Eu te vejo, eu não sei… Se tu me olhas também.
   Adivinha-me sem saber que o faz… Ou sabes ?
   Forte luz esta, irradiada dos teus olhos e nos meus refletida, faz-me cega e entorpecida.
   Toma conta de mim, tu.   Escreva para mim, que fico esperando e não paro, nem por um momento, de pensar em ti.
   (Cuido de ti, eu).
   Sobre cada palavra tua, reflito – me perco. Sofro. Me deleito.  Tanto pode ser tanto, tanto pode ser pouco, tanto pode ser nada.  Bem me quer, mal me quer, não me quer, não pensaste ?

   Vem, fica.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três