Olhos fechados, braços cruzados

   Eu tentei sair e buscar por um lugar onde eu pudesse me esconder, fugir de mim para poder pensar, para não perder as forças e não querer deixar de lutar. Mas você me aprisionou. Você acorrentou meus pulsos ao seu coração, trancou-me dentro deste amor.
   Eu nunca conseguirei ser feliz presa assim. Nunca te farei feliz também. Suas provas de amor são celas que servem apenas para garantir que eu não te deixe. Isso só me incomoda, só me faz querer partir. Quem é que não deseja ir embora quando se sente amarrado ?
   Seus doces beijos amargam minha boca, então preciso cortá-los. Seus abraços não me deixam respirar, então preciso me esquivar. Seu olhar me intimida e me cobra um amor que morreu afogado em suas próprias lágrimas, então preciso mentir para não te magoar, pois minhas palavras sinceras, aquelas que dizem o que realmente se passa dentro de mim, são lâminas afiadas, e você não saberá manuseá-las, e eu sei que elas te ferirão.
   Meu amor por você costumava ser como um incêndio: flamejante, incontrolável, destruidor, quente. Então como é que esse incêndio se reduziu a essa pequena chama, ardendo sob a madeira de um palito de fósforo ? Ah, Anjo, você não sabe, mas amor nenhum sobrevive em cativeiro. Seu cárcere, por mais bem intencionado que seja, não deixa esse amor crescer. E agora, de qualquer forma, é tarde demais para tentar libertá-lo, ele já está aleijado.
   Anjo, onde estão suas asas ? Eu já nem consigo mais acreditar em você, tão gastas estão as suas palavras de amor. E não consigo sentir nenhuma admiração por você, ou conciliar as nossas diferenças dentro de minha cabeça. Por me sentir presa, por você estar impondo seu amor a mim desta forma, por estar tentando me obrigar a amar você quando eu já te amo, este amor está abatido, enfraquecido. Antes eu não conseguia me ver sem você, agora já não consigo nos imaginar juntos.
   Um nó se forma em minha garganta e me faz cuspir um “eu te amo”, mas, na verdade, eu não te amo tanto assim… Eu ainda te amo, mas não o suficiente para conseguir lutar fervorosamente por esse sentimento, não o suficiente para me importar. Estou apenas fazendo hora no campo de batalha. O saldo de mortos e feridos, o resultado do termo dessa guerra: você e eu juntos ou separados, agora não fazem mais diferença.
   Não vale mais a pena, de qualquer forma, a beleza está gasta, minhas dores tornaram-me incrédula, apática, abatida, fria. Eu simplesmente estou dando de ombros.
   Tanto faz pra mim.

Gitana

Nunca usé un antifaz
Voy de paso
Por este mundo fugaz

No pretendo parar
¿Dime quién camina
Cuando se puede volar?

Mi destino es andar
Mis recuerdos
Son una estela en el mar

Lo que tengo, lo doy
Digo lo que pienso
Tómame como soy

Y va liviano
Mi corazón gitano
Que solo entiende de latir
A contramano
No intentes amarrarme
Ni dominarme
Yo soy quien elige
Como equivocarme

Aprovechame
que si llegué ayer
Me puedo ir mañana
Que soy gitana
Que soy gitana

Sigo siendo aprendiz
En cada beso
Y con cada cicatriz

Algo pude entender
De tanto que tropiezo
Ya sé como caer

Y va liviano
Mi corazón gitano
Que solo entiende de latir
A contramano
No intentes amarrarme
Ni dominarme
Yo soy quien elige
Como equivocarme

Aprovechame
Que si llegué ayer
Me puedo ir mañana
Que soy gitana

Vamos y vemos..
Que la vida es un goce
Es normal que le temas
A lo que no conoces

Tómame y vamos
Que la vida es un goce
Es normal que le temas
A lo que no conoces
Quiero verte volar
Quiero verte volar

Y va liviano
Mi corazón gitano
Que solo entiende de latir
A contramano
No intentes amarrarme
Ni dominarme
Yo soy quien elige
Como equivocarme

Si vine ayer
Aprovecha hoy
Que me voy mañana
Que soy gitana

[Shakira]

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três