Inevitável

   Eu disse que não voltaria. Eu prometi pra mim mesma que nunca mais.
   E eu bem tentei, eu juro… Mas eu sou fraca. Eu nunca consegui cumprir uma promessa feita a mim mesma. Nunca consegui me manter firme na decisão certa. E como seria diferente agora ?
   Seus lábios nos meus, envolvidos num abraço, perdão, mágoa, saudade, medo. Por quem mais eu deveria viver ?
   Que posso eu fazer ?
   Ah, como eu me odeio por precisar tanto que ele exista em minha vida. Como eu o odeio por dizer que precisa de mim também. E como eu odeio o fato de tudo ser tão complicado, quando poderia ser tão simples. E como dói não conseguir deixar de viver viver apenas pela esperança de esquecê-lo, ou de tê-lo inteiramente, enfim.
   Eu queria não precisar deixá-lo ir, ou poder partir com ele. Mas o mesmo sopro que o trouxe de volta, o levou pra longe de mim... De novo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três