Você reveste tão perfeitamente toda esta paixão e toda esta saudade....
Não posso escrever agora. Não consigo ajeitar-me na prosa, no verso... Na escrita, enfim. Consigo apenas ajeitar-me em você, sim. Pensar nas lembranças que não vão me deixar sã tão cedo. Não é possível concentrar-me em nada mais....
E tudo, tudo, de qualquer maneira, jamais será o que você merece.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três