Meu amor, estou com medo. Da frieza, do egocentrismo, do egoísmo, da hipocrisia, da doença de ser gente - medo dos homens, das máscaras. Da falta de limites para atraiçoar, seduzir e contundir com o simples e comodista intento de obter qualquer prazer breve, supérfluo, mentiroso...

Comentários

  1. O medo de todos, Nicole... Mas nada que não dê para evitar, não é?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três