Um papel medíocre e uma caneta ruim mas, cá estou, apesar de que fazer nada me parece melhor do que fazer qualquer coisa.
Um papel medíocre que muito não me deixa dizer, veja: quem é você, perto dele ? Ninguém pode afirmar que ele mente, apenas que o que ele diz sentir é frio demais para ser verdade, para ser humano. Mas não há nada que evidencie o fato de que ele é alçado por mentiras. Nada.
... Mas você ! O que você fez, sim, é mentir. De todos que você julga mal, de todos, é você a criatura mais ínfima. O verdadeiro grande mentiroso - que pena.
Minha maior vergonha, meu caro, é a memória que levo comigo, de ter desejado ser como você é.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três