Lares apagados. Pra quê tanto frio, me diz ?

Eu sei. Certo, não comecemos com "eu", mas com você.   Você me faz saber... Como é... Buscar, em desalento, o que dizer, enquanto assisto aos últimos restos de palavras fugirem. E a agonia ? Não digo nada... Nada, para adornar o seu silêncio, nada.
Aliás, obrigada. Obrigada por me fazer sentir assim.
(Sinta minha feição desarticulada ensaiando mutilar-lhe a vaidade)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três