Não tem mais nada, só fumaça
Que me agarra, que me escapa
Não tem mais nada, só você
Que chegou tarde demais...
Não tem mais nada, só o romper
De um outro dia, em outro cais

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três