Exício

Vá sorrindo, sem olhar pra trás,
Passa o rio e, senhor, ninguém mais
Verá as máculas de sangue...

E sua mão num gesto de adeus,
Descambada sobre os passos teus,
Submergiu em um instante...

Seus olhos vítreos vislumbravam
Planos que viveram e deixavam,
Devorados, impotentes...

Feroz, seu sorriso de cor púrpura
Rasgava-se com baldadas súplicas,
Consumido na torrente...

Comentários

  1. Amiga Nicole, primeiro te agradecer, por sua presença em meu blog. Quanto a seu post, você, descrever a Exício, muito suave, sem púrpura, e sem os olhos vítreos. Parabéns! Porém fico a conceber o arrojo do meu escólio...

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três