Deixa-me pegar-te as mãos... Sinto-as tão trêmulas, agora. Deixa-me dizer-te que sinto falta de ti, e de como adivinhavas tão facilmente, minhas recônditas (e inglórias) obviedades...
Ainda me encantas, é certo. E ainda sinto-me amando-te a cada dia mais, como desde sempre... Há, somente, uma maneira nova de fazê-lo. Sinto-me uma nova pessoa. Sinto-te uma pessoa incompleta. Que houve contigo, meu querido ?





"Esse amor, essa fidelidade, essa paixão não é, pois, uma ficção do poeta ! Ela vive, ela existe..." (Goethe)

Comentários

  1. Sinto falta da poesia sonora que sentia a tempos atrás, é bom saber que ainda posso vê-la viva aqui.
    Entre poesias, e sentimentos sinceros...Doces lembranças.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três