Convulso

Eu... Eu, eu não queria ter chorado.
Merda.
Eu ("eu, eu, eu...") odeio não ter controle sobre mim mesma... Quero dizer, eu odeio não ter controle nem ao menos sobre mim mesma.
Que eu chorasse. Mas que soubesse responder (quiçá forjar uma resposta) a quem me perguntasse porquê.
Ainda.. Sinto-me... Lânguida.
Ah, quem dera... Quem dera eu entendesse o que há, e somente não pudesse dizê-lo, por não conseguir... Mas... Não consigo explicá-lo, palpá-lo... Um espectro deformado, que mal aguenta ser espectro... Nato de instintos, de impulsos..
Eu sei, eu só deveria saber... O que eu não sei (começo a rir, sem mais perguntas).
Quando começou, quando deve terminar... Tanto para dizer que tenta sair ao mesmo tempo e... Nada sai. Reticências, nunca, minhas queridas, as odiei tanto... Por serem tão... Incapazes, tão... Impotentes ! Por serem... Por serem tudo o que tenho.

Comentários

  1. inábil, impotente,sem poder segurar a mente,não querer chorar e não poder conter, querer gritar e ninguém ouvir.Pensar em voltar no tempo quando é evidente que não somos capazes.Lamentos. Consumidas pelas reticências...

    ResponderExcluir
  2. Neném... Essas são as minhas reticências pra você!
    Como sempre, como disse, como antes fazia, consigo te entender, sério!
    "Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe?"
    Caio Fernando Abreu

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três