Que névoa é essa que cobre teus olhos,
Torpe, muda, vaga , suja ?
Que névoa é essa que cobre teus sonhos ?
E se sonhos existem, por que os tortura ?
O que tens exatamente em mãos,
E uma vez apercebido,
Abate cínico com força, vil aluição,
Abate, buscando o extinto,
Qualquer um que o tenha como desconhecido,
Pra doer qualquer justificativa.
Uma felicidade derivada de mentiras
Naturalmente está fadada à agonia.
Como se ferir outrem curasse feridas...
E, de prazer, não bastasse já a vida,
Busca ser, na solidão que desatina,
Diferente do ser humano e sua sina.
Só lamento, só lamento, tua hipocrisia,
Só lamento, tua vida tão vazia...
(Tua falha inevitável)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três