Cingidor de dissabores, da distância, do meu tempo,
cingidor dos meus amores, da constância de meu alento;
Diga-me, que outra escolha eu tenho ?
Um "eu te amo" singelo e eu juro que me rendo.

Preciso que me abrace, do seu ente ante ao meu,
encontrar uma rima ao verso que já se deu.
Preciso que me abrace e não se deixe mais soltar,
Eu preciso, todos os dias, de um "eu te amo" elementar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três