(Distante) Devaneio:

A gente perde sem ver, sem querer...
Simples assim. O que estava ali de repente não está mais. E a gente se importa, de verdade ?
Importar-se não basta. Ao passo que perdemos, mudamos... Não. Ao passo que mudamos, perdemos.
Um dia a gente percebe que (se) perdeu, mas quem diz que mudamos ? A gente muda sem saber e continua não sabendo... Aliás, a gente sabe quando sente que perdeu o que perdeu. Perdendo, mudamos ainda. Uma ciranda infinita de legos despencando, a causa é o efeito e a causa (,) e o efeito trata de ambos também.
A perda é do tamanho da mudança (só que maior).
Eu me pergunto o tamanho de sua perda... E se você é/está tão vazio quanto seu silêncio o faz parecer.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Ano Três